Do Arquivo | Preconceito estrutural

Parece que tem um pessoal por aí que está achando que não existe preconceito ou discriminação no Brasil. Nem miúpes, nem cegos, nem daltônicos. Cegos, mesmo. Ou se fazem?

O preconceito e a discriminação (social) tem várias nuances, camadas nem tão sútis, mas aceitas, nesse nosso país prematuro na democracia, com pouco de entendimento de suas raízes – e erros – e entendiementos acerca do que é equidade e respeito.

A praxe é tentar minimizar, diluir, camuflar dizendo que não passa de uma questão de jeito brasileiro, que a sociedade é assim (status quo), tudo não passa de brincadeira ou pior: vitimismo. Juro para você que já ouvi isso! Tudo é normatizante para quem não viveu isso na alma. Quem não sente, quem não é vítima. Econtra-se nomes, lexicos, teorias e até apelam a uma justificativa divina para justificar.

Sabe como se descobre que existe? Quando você é barrado no uso do elevador de um préido, quando a empregada doméstica não pode comer na mesa e dorme num quartinho mal instalado, quando um filho não pode acessar a educação ou não pode brincar no parquinho junto a outros, quando te olham com indiferença ou lhe discriminam pelo seu jeito de se vestir, de falar ou por ser pobre mesmo. Até mesmo alugar uma casa. Por isso é importante o papel da empatia.

A foto, um retrato, é de maio de 2013, para uma matéria específica sobre o assunto discriminação e locação de imóveis no caderno Vida e Cidadania, do jornal Gazeta do Povo. A Constituição garante que não se pode recusar inquilo por etnia, religião, condição social ou orientação sexual. Mas não era bem o que ocorria com Ana (personagem ouvida numa matéria). Ela percebeu algo “diferente”. Enquanto tudo era pelo telefone, a negociação ocorria bem; mas quando chegava chegava a hora da visita pessoal, aparecia uma “questão de última hora” para desistir.

A advogada especialista ouvida na época disse que os critérios tem de ser objetivos para a locação. Ainda segundo ela, há situações de casas que são negadas para mães solteiras, homossexuais. O que configura crime.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s