Atento às tendências – como isso pode ajudar nos seus projetos

Ficar atento às tendências pode ser muito útil, principalmente para quem trabalha na áreas das artes e comunicação visual. Independente do tipo de trabalho, seja ele mais autoral ou de amplitude comercial, o processo criativo será fundamental na criação da peça. No que diz respeito à fotografia, não seria diferente.

No workshop “Projeto fotográfico – da idealização à realização”, para fotógrafos interessados em desenvolver um trabalho fotográfico com mais embassamento e potencialidade, a questão das tendência é um dos pontos abordados em aula. Chamo atenção justamente para prestar atenção às principais tendências e comportamentos na hora de esboçar ou mesmo conceiturar um ensaio. Entre as referências utilizadas para corroborar a questão está a lista da publicação do relatório anual Shutterstock.

Beleza! Mas qual a relação que isso pode ter com a fotografia ou mesmo o desenvolvimento de um projeto fotográfico?

Observar questões especificas de um momento na sociedade pode ser uma boa base para uma proposta inicial, ideia ou tema. Além disso, também vai encrementar o processo criativo e, assim, tornar o trabalho mais atrativo, em especial e contemporâneo.

Por exemplo, em 2018, segundo o relatório da Shutterstock, a “fantasia” – do genêro fantástico, ficção, etc – estava na topo das principais formas de criação. Destaque também para o “minimalismo” e para o uso de “tons pastéis contemporâneo”.

Você pode ter notado a grande oferta de filmes e séries com essa pegada. E o efeito avalanche é natural. A coisa começa a ser mimetizada e aparece não só na literatura e cinema, mas também nas artes, no vestuário e até no comportamento.

Foto André Rodrigues – projeto Iluminados – a beleza do cotidiano

No que tange a Fotografia, caso você seja um fotógrafo comercial, de social, provavelmente registrou algum aniversário infantil com unicórnios e seres do mundo das fadas. Além disso, o genêro influenciou não só a forma, mas também o conteúdo. Fotógrafos criaram imagens com forte apelo onírico e fantasioso, fazendo uso de produção e pós-produção (tratamento e cor), tanto em locações (cenários e ambientes) ou na própria direção – portrait por exemplo. Mise en scène que funciona muito bem num trabalho autoral. Dê uma olhada no trabalho de glamour e dark do Haris Nuken.

No quesito cor, o apelo de tons pastéis floresceu em imagens no perfis de criativos no Instagram. Veja o trabalho de Ice Crem Books, Mathieu Venot, “Water Polo” de Hardibudi. Só para ilustrar alguns.

Observei que foi muito usado, inclusive nas produções de gastronômia na foodphotography e até para arquitetura e retratos.

2019
Algumas tendências criativas já começaram a ser exploradas no universo da arte, da moda, beleza e segmentos da comunicação visual e mídias. De acordo com o relatório desde ano, uma boa pedida vai ser para o uso de cores chamativas, o retrô da década de 1980, o Neon, e de uma coisa que acho bem legal que é a cultura Zine.

Uma boa pedida para arriscar em seus novos projetos para esse ano. E reforçando novamente. Como?

Que tal aparecer nos seus trabalhos de fotografia como colagens, recortes e tudo mais. Artistas que utilizam a fotografia como meio, dos clássicos aos mais modernos, sempre utilizaram desse recurso como boa pedidada criativa. Arrisque dar uma olhada no trabalho Cat People Art, da Charly Techio, com recortes e colagens digitais.

Imagem com autorização da autora.

Zine-se
Você pode se apropriar do conceito do Zine, com as colagens, cartons e desenhos, recortes e ilustrações e lançar um livro de fotografia em formato zine. Eu estou trabalhando nessa proposta ( ou pelo menos no sentido geral )tem algum tempo. Fotógrafos europeus distribuim muito material nesse formato – livretos com baixa tiragem, edição própria  e tal. A velha e boa cultura do DIY ( Do it yourself). No projeto Voto em Imagens lancei na parceria com o fotógrafo Marcos Xreda, o “Indeleble” e o “F(V)OTO”. E já estou na produção de mais um outro projeto que cabe bem essa proposta.

A publicação F(V)OTO em formato jornal foi uma alternativa para custear o trabalho da cobertura das eleições de 2014. A proposta caiu bem conceitualmente e ficou barata perto de um livro

Cor então, dá para usar e abusar da paleta e nuances com toda intensidade que sua criatividade mandar.

As propostas em relação à conscientização e meio ambiente estão com a sinalização de ascenção. Entre elas a questão do plástico. Você pode trazer isso para um projeto de fotojornalismo ou fotodocumentarismo, pois é um assunto relevante a todos.

Você tem alguma sugestão? tem alguma maneira particular de retratar? Comente aí.

Fiquem bem e até o próximo post!



Follow
Instagram: @andrerodriguesphoto
Twitter: @andrerodriguespictures
Facebook: AndréRodriguePhoto
More on: www.andrerodriguesphoto.com.br

 

 


André Rodrigues, born in 1977. Brazilian photographer. freelancer, based in Curitiba, Brazil.

He began photography in a didactic way, did small work and collaborated with local agencies and newspapers. He graduated in Journalism and worked as a journalist. He works on a long-term project entitled “Vote in Pictures”.

Recently it is dedicated to varied questions, documentary photography, contemporary issues, religion, peoples, politics and human behavior.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s